AROMATERAPIA FUNCIONA?

AROMATERAPIA FUNCIONA?

Aqui estamos com uma questão da série: “A pergunta que não quer calar”. Vamos direto ao assunto? Pois bem, será mesmo que essa tal de Aromaterapia funciona?

Antes de tudo, vale dizer que há uma verdadeira “legião” de estudiosos e interessados pelo tema Aromaterapia e óleos essenciais. Mas, será que tantas pesquisas e estudos conseguiram provas efetivas de que a Aromaterapia funciona?

Se você faz parte do grupo de pessoas céticas quanto aos efeitos terapêuticos da Aromaterapia, te convido a me acompanhar no decorrer deste artigo, onde traremos a resposta. Confira!

Aromaterapia e suas vertentes

Os mais antigos relatos acerca da Aromaterapia, datam dos sânscrito dos Ayurvedas, isso quer dizer algo como aproximadamente 2.000 A.C. Nestes textos, temos as primeiras descrições de técnicas bem toscas, que indicam a forma com a qual os hindus obtinham produtos destilados.

¹Esses produtos muito provavelmente se tratavam de álcoois aromáticos extraídos de espécies de capins do gênero Cymbopogon, ou seja, capim limão e citronela.

Quando falamos sobre Aromaterapia, é importante pensarmos que ela possui duas linhas.

²Temos a Aromaterapia inglesa, baseada no uso dos óleos essenciais para promover o bem-estar, que para tal finalidade, lança mão de massagens, inalações e até mesmo tratamentos estéticos.

Por outro lado, temos ainda a Aromaterapia francesa, que, embora lance mão destes mesmos artifícios mencionados acima, amplia o foco de suas abordagens, adotando ainda o emprego clínico dos óleos essenciais e seu uso como fitoterápico, por exemplo.

Aromaterapia e suas pesquisas

Sabemos que há muitos relatos, a cada dia surgindo novos depoimentos, de pessoas que garantem se beneficiarem com o uso dos óleos essenciais para amenizar sintomas, quadros de estresse e até de depressão.

No entanto, a busca de comprovações científicas, para garantir a credibilidade da Aromaterapia também demonstra ser incessante.

Segundo matéria de ³Carolina Cotta, para o portal Uai- Saúde Plena, na Alemanha, por exemplo, o “óleo essencial de lavanda foi aprovado como medicamento para tratar ansiedade e tem comprovado, efeito superior à medicação alopática tradicional para transtorno de ansiedade”.

No Brasil, durante o 2º Congresso Internacional de Aromatologia, a Doutora em ciências farmacêuticas, Adriana Nunes Wolffenbünteel, lançou um livro denominado “Base da química dos óleos essenciais e aromaterapia (abordagem técnica e científica)”, pela Editora Lazslo.

Neste estudo, fruto de uma parceria entre a Universidade Federal do Rio Grande do Sul e a Universidad Complutense de Madrid, a pesquisadora comprova como os óleos essenciais de citrus contribuem com os sistemas neurológico e hormonal, pelo fato de possuírem propriedades ansiolíticas e antiestresse.

A Universidade de São Paulo (USP), também realizou uma pesquisa onde avaliou a eficácia da aromaterapia na diminuição dos níveis de estresse.

Tendo como material humano, 36 estudantes de cursos da área da saúde, o estudo contou com pessoas da faixa etária entre 18 a 29 anos.

4O primeiro grupo de18 indivíduos foi submetido ao tratamento de sete sessões de dez minutos, onde os participantes inalaram uma mistura de óleos essenciais. O outro grupo composto por 18 voluntários, não. No primeiro que realizou a Aromaterapia, observou-se a redução de 24% no nível de estresse e de 19% na ansiedade. No segundo, houve redução apenas no nível de estresse (11%).

Temos ainda as pesquisas do médico Edzard Ernst, da Universidade de Exeter, Reino Unido. Ele encontrou cerca de seis estudos clínicos, realizados entre 1993 e 2000.

5Tais estudos afirmam de maneira categórica, a eficácia dos efeitos relaxantes da Aromaterapia, por meio de massagens com óleos de lavanda, de laranja e de camomila. De acordo com a pesquisa, a prática pode minimizar a sensação de stress, mesmo que maioria dos casos, o tempo de ação não seja extremamente prolongado.

Em vista de tudo o que foi dito neste post, podemos enfatizar alguns pontos para elucidar as dúvidas de nossos (as) leitores (as):

1- A Aromaterapia se trata de uma terapia holística que hoje está amplamente embasada cientificamente. Há quase 20 mil artigos científicos na maior plataforma de pesquisas de saúde no mundo, o PubMed6, mostrando a eficácia da utilização dos óleos essenciais para tratar as mais variadas enfermidades;

2- A Aromaterapia funciona, mas não deve ser sua única fonte de tratamento, ou seja, ela não dispensa o acompanhamento do seu médico!

3- Consulte um profissional de Aromaterapia. Apenas um (a) profissional poderá lhe indicar de maneira coerente, a melhor forma de utilizar os óleos essenciais, bem como quantidade ideal e possíveis restrições. Sabemos, por exemplo, que mulheres gestantes, via de regra, são aconselhadas a evitarem determinados óleos.

E então, quando alguém te perguntar da próxima vez, se a Aromaterapia funciona, que tal mostrar este artigo?

¹O USO DE ÓLEOS ESSENCIAIS NA TERAPÊUTICA – Mari Gema Fontelles De La Cruz (http://laszlo.ind.br/admin/artigos/arquivos/oleosnaterapeutica.pdf)

²Aromaterapia ganha cada vez mais adeptos com a comprovação de seus benefícios (https://www.uai.com.br/app/noticia/saude/2016/03/23/noticias-saude,190450/aromaterapia-ganha-cada-vez-mais-adeptos-com-a-comprovacao-de-seus-ben.shtml)

³ https://www.uai.com.br/app/noticia/saude/2016/03/23/noticias-saude,190450/aromaterapia-ganha-cada-vez-mais-adeptos-com-a-comprovacao-de-seus-ben.shtml

4 https://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/12390-aromaterapia-ajuda-a-reduzir-sintomas-do-estresse

5 http://www2.uol.com.br/vivermente/artigos/essencias_que_curam.html

6 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=essential+oil

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa de Ajuda? Clique Aqui!
Rolar para cima