Como são extraídos os óleos essenciais

Você sabe como são extraídos os óleos essenciais?

Existem diversas formas de extrair os óleos essenciais das plantas, sendo que a mais comum é a destilação por arraste a vapor. Antigamente, era muito raro conseguir a extração dos óleos puros, devido às técnicas muito arcaicas.

A composição de um óleo essencial pode ser alterada drasticamente dependendo do tipo de extração, por isso é tão importante conhecer esses métodos.

Um exemplo disso são os óleos essenciais cítricos, que quando são extraídos por prensagem carregam consigo componentes chamados de furanocumarinas que são responsáveis por causar graves queimaduras na pele quando exposta ao sol.

Como são extraídos os óleos essenciais?

Destilação por arraste  a vapor

A destilação a vapor é feita colocando água para ferver em uma caldeira. Quando a água evapora, passa por um alambique onde a planta foi colocada. A alta temperatura desse vapor rompe as estruturas onde estão armazenados os óleos essenciais.

À medida que isso acontece, as moléculas de óleo essencial evaporam junto com a água, viajando através de um tubo até chegar a uma serpentina resfriada. Então o óleo essencial condensa junto com a água, caindo em um recipiente. Como óleo e água não se misturam, o óleo fica na superfície, de onde é facilmente retirado.

Hidrodestilação

Essa é uma versão mais simples da destilação a vapor, onde tanto a água quanto a planta são colocadas em um só caldeirão. Apesar de ser um método eficaz, é necessário manter atenção constante, pois a água pode evaporar completamente, queimando a planta e deixando no óleo o cheiro característico de queimado.

Extração por CO2

Esse método é pouco utilizado, pois os equipamentos possuem alto custo. É um tipo de extração de alta pressão que utiliza o gás carbônico (CO2) como fluido extrator. É recomendado para retirar óleos de partes mais difíceis, como raízes, tubérculos e cascas de árvores, pois com a alta pressão será possível romper a estrutura que guarda o óleo essencial.

Extração por solvente

Nessa técnica é utilizado o hexano ou etanol como solvente para extrair o óleo essencial. Coloca-se a parte da planta utilizada junto com o solvente e aquece-se até a fervura. Assim, as células que guardam o óleo essencial são rompidas. Depois que o material vegetal é tratado com o solvente, ele produz um composto aromático ceroso chamado “concreto”.

Após esse processo, faz-se uma nova extração para retirar apenas o óleo essencial, que é denominado de absoluto (ABS). Essa extração é feita a partir da mistura do “concreto” com álcool, assim as partículas de óleo são liberadas. Porém, resquícios dos produtos químicos usados neste procedimento de extração permanecem no óleo, o que faz com que ele seja usado apenas para alguns tipos de óleos essenciais na aromaterapia e pela indústria de perfumes.

Essa técnica é mais utilizada para partes de plantas que possuem pouco óleo essencial.

Attar

Esse método de origem indiana é utilizado há séculos para a fabricação de misturas de óleos essenciais. Plantas mais nobres, como jasmim, rosas e néroli, são destiladas em puro óleo essencial de sândalo. Essa combinação é trabalhosa e recebe o nome de Attar.

Maceração

A grande vantagem da maceração é que mais moléculas da planta são capturadas no processo, pois a planta, neste método, é convertida em pequenas partes, um “moído grosso”. Esses pedaços de planta são colocados em um recipiente fechado, onde é adicionado o solvente. A mistura é deixada por uma semana, depois o líquido é recolhido. O sólido restante é prensando também, para que todo o líquido seja aproveitado.

Esses são os diversos tipos de extração de óleos essenciais que ainda hoje utilizamos. Para adquirir o seu óleo essencial favorito, acesse a loja virtual da Aroma Help.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa de Ajuda? Clique Aqui!
Rolar para cima