Palmarosa: entenda tudo sobre esse óleo essencial

Apesar de ter rosa no nome, a palmarosa é parente do capim limão e da citronela. Esse capim perene é nativo do sudoeste da Ásia, especialmente Índia e Paquistão, e é muito cultivado por conta do seu óleo essencial.

O óleo essencial de palmarosa é composto 80% por geraniol, que é o grande responsável pelo seu aroma, e isso faz com que ele tenha características semelhantes aos óleos de rosas e de gerânio. Seu odor é fresco e suave e traz consigo muitos benefícios para a saúde integral: corpo, mente e espírito. É muito indicado para compor cosméticos inteligentes.

Quer saber mais?

Então continue lendo para conhecer as propriedades desse óleo essencial fantástico!

Produção do óleo de palmarosa

O óleo essencial de palmarosa é colhido por destilação, através das folhas e caules da erva. Existem hoje, principalmente no sudoeste da Ásia, pequenos produtores que plantam e colhem palmarosa. Desses pequenos produtores, 80% são mulheres.

Composição e benefícios

O óleo essencial de palmarosa possui em sua composição, além do geraniol que citamos acima, 10% de acetato de geranila. Ou seja, um álcool e um éster, respectivamente.

Esse óleo é indicado para peles sensíveis, secas, maduras, com manchas escuras (os famosos melasmas), acne, dermatite, psoríase, feridas e com escaras.

Esse capim, quando pensamos no aspecto emocional, promove a sensibilidade, acalma emoções, gerando equilíbrio no agir, trabalhando a flexibilidade, a comunicação e a instabilidade emocional. Ele também auxilia a imunidade e fortalece o sistema digestivo.

O óleo essencial de palmarosa pode ser utilizado para os mais diversos fins, inclusive já existem vários estudos que verificaram a ação anti-inflamatória, antioxidante, antifúngica, analgésica e até anticancerígena desse óleo essencial e seus componentes.

Outro estudo muito interessante, e que trouxe um uso diferente dos óleos essenciais, foi a pesquisa realizada na Universidade Estadual de Maringá, aqui no Brasil, que analisou os efeitos dos óleos essenciais de palmarosa, gengibre e canela para controlar fungos em grãos, em especial o fungo Fusarium Verticillioides. Esses três óleos são muito conhecidos por seu alto poder antioxidante, e no estudo verificou-se que todos eles promoveram danos estruturais à parede celular do fungo, diminuição do tamanho dos conídios e redução micelial. Isso sugere que esses óleos essenciais podem ser muito úteis para controlar o fungo em questão e a produção de micotoxinas por ele.

Muito interessante saber que os óleos essenciais também podem ser aplicados na agricultura, e que muitas vezes nem imaginamos.

Essa função da palmarosa já era percebida entre os agricultores, que plantavam a erva entre os outros cultivos para inibir totalmente a germinação de fungos, que são responsáveis pela “podridão cinzenta” que atinge diversos tipos de frutas no final do processo maturativo.

Por esse indício, o óleo essencial de palmarosa é indicado como um antisséptico fantástico.

Utilização para cuidados com a pele

Esse óleo é muito valioso para cuidados com a pele, especialmente quando a gente dilui ele com algum óleo vegetal. Isso porque ele tem um poder muito grande de hidratação, principalmente para peles cansadas, regeneração, estimulação da pele e do tônus, além de possuir efeitos que são calmantes e você sentirá aquele frescor na sua pele.

Então, para quem quer diminuir linhas de expressão, cicatrizes e manchas antigas, esse óleo é o ideal para ser colocado nas fórmulas de beleza rejuvenescedoras, e pode ser combinado com outros óleos como o de olíbano e o de rosas.

Ele também é utilizado em casos de eczemas, acnes e para ter um equilíbrio, tanto para peles oleosas, quanto para peles secas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa de Ajuda? Clique Aqui!
Rolar para cima