Principais dúvidas sobre óleos essenciais – Parte I

Dúvidas sobre óleos essenciais

O texto de hoje é bem simples. Para quem já acompanha o blog há um tempo, sabe que nós já falamos bastante sobre óleos essenciais, as melhores formas de uso, os cuidados necessários na hora da aplicação térmica, inalação. Você pode acompanhar todo o conteúdo já publicado aqui no nosso blog!

Decidimos responder às principais dúvidas de quem começou a usar óleo essencial. Vem conferir!

1.   Por quantos dias usar cada óleo?

Para respondermos a essa pergunta, você tem que ter em mente que o uso de óleos essenciais é um tipo de tratamento. Por isso, é preciso saber a hora de parar o uso, para não terminar o tratamento cedo demais.

Os óleos essenciais fazem efeito muito rápido. Em quinze minutos inalando um óleo, é possível perceber mudanças no humor, início de estados de estimulação ou de sonolência. Mas quando nós estamos falando de tratamento, principalmente se os objetivos forem emocionais e comportamentais, a gente entende que nada vai acontecer da noite para o dia.

É indicado que a gente fique com alguns óleos por, pelo menos, duas a três semanas. Alguns exigem de um a três meses para começar a surtir efeitos mais significativos.

É sempre interessante, se você quer realmente começar um tratamento intencional e profundo com aromaterapia, procurar uma aromaterapeuta, alguém que realmente compreende muito sobre esse assunto e vai poder analisar o seu caso especificamente, além de achar as melhores formas de trabalhar aquilo que você precisa trabalhar.

Tem alguns óleos essenciais que não podem ser usados sem pausa, como o óleo essencial de erva doce. O ideal é utilizá-lo por 15 dias e depois fazer uma pausa de pelo menos uma semana. Outro óleo que não deve ser usado sem pausa é o de sálvia esclareia.

Mas como saber que é o momento de parar sem o auxílio de uma aromaterapeuta?

Quando você está usando um óleo essencial, é possível sentir de forma clara quando o óleo está fazendo efeito.

2.   Dependendo do lugar onde é passado, a função do óleo essencial muda?

A função vibracional do óleo muda! Um exemplo é o óleo essencial de sálvia esclareia que citamos acima. Ele pode ser usado para reduzir os sintomas da tpm e, se você inalar, acabará sentindo a diminuição das dores de cólicas menstruais. Mas você também pode diluir o óleo de sálvia esclareia e aplicar fazendo massagem na região do ventre por pelo menos 5 minutos. Assim, você verá uma melhora nas dores muito mais rápida. Então, o óleo pode ser usado em lugares e de maneiras diferentes.

Quando falamos principalmente da parte energética, como a integração da aromaterapia com a ayurveda, que não só acredita em energia mas também trabalha com o centro delas (os chakras), compreendemos e ampliamos as formas de uso energética dos óleos.

Um exemplo são os óleos que auxiliam no processo digestivo, como cardamomo, erva doce, entre outros.

3.   Como saber em que região aplicar o óleo essencial?

O óleo poderá ser aplicado conforme os pontos energéticos ou na região onde dói/incomoda de fato. Então, é preciso aplicar fisicamente no local, para que a ação do óleo seja intensificada.

Como exemplo, se você está com cólica, poderá aplicar o óleo no ventre; se você estiver com sinusite ou com um pouco de gripe, poderá aplicar nas regiões dos pulmões, nas costas. É possível aplicar também, no geral, nas solas dos pés, pois a reflexologia traz os pés como essa planta geral para todas as partes do corpo.

Gostaram das nossas dicas? Aguarde o próximo texto, no qual vamos esclarecer mais algumas dúvidas!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa de Ajuda? Clique Aqui!
Rolar para cima